Top

O que você precisa saber para estudar medicina na Argentina

Medicina na Argentina / MEDICINA NA ARGENTINA  / O que você precisa saber para estudar medicina na Argentina

O que você precisa saber para estudar medicina na Argentina

Para a realização do curso de medicina em uma universidade pública no Brasil é necessário passar pelo temido vestibular. Esse sistema de seleção não conta com vagas suficientes para todos os interessados, sendo tão rigoroso que pode chegar a ter mais de 200 candidatos concorrendo por uma única vaga. Diante dessa saga, muitos estudantes acabam recorrendo às universidades privadas, mas se deparam com mensalidades de valores altíssimos, que podem chegar até R$11 mil, e se endividam antes mesmo de darem início à carreira.

Mas na Argentina, tudo é diferente! Por conta das facilidades que os cursos argentinos oferecem, cerca de 4 mil brasileiros investiram nas suas faculdades de medicina. Se você também se interessa em receber um ensino de qualidade, sem muitos gastos e de fácil acesso, confira tudo o que você precisa saber para estudar medicina na Argentina!

Não precisa prestar vestibular

Na Argentina, o ingresso à universidade é livre, sendo praticamente um direito de todos os estudantes. Esse modelo é o mesmo utilizado nas universidades europeias e nunca causou problemas, pelo contrário, só faz com que toda a população possa receber uma educação de nível superior de qualidade.

Isso significa que não há vestibular, nem todo esse estresse com concorrência e número de vagas. Basta se inscrever na faculdade e enviar toda a documentação para garantir sua vaga.

Faculdades de excelência

As faculdades de ciências médicas na Argentina são reconhecidas internacionalmente pela excelência de ensino, infraestrutura e corpo docente. Três médicos que ser formaram na Universidad de Buenos Aires (UBA) inclusive já ganharam Prêmios Nobel na área, com outros dois ex-estudantes ganhando prêmios Nobel em outras áreas e oito se tornando presidentes do país.

Outra faculdade de ciências médicas muito procurada pelos estudantes brasileiros é a da Universidad Nacional de Rosario (UNR), que em 2009 recebeu o “Prêmio global de excelência em educação para a saúde”.

Faculdades públicas e privadas

Se engana quem acha que por toda a facilidade de acesso às universidades da Argentina cobram mensalidades caras. O país conta com grandes universidades públicas que oferecem cursos tradicionais de medicina gratuitamente e com faculdades privadas que possuem mensalidades bem mais baratas do que as faculdades brasileiras. O preço dessas mensalidades variam, convertendo para o real, de R$700 a R$1400 apenas, ou seja, até 10 vezes menos do que no Brasil!

Alta qualidade de vida a um baixo custo

A Argentina é um país com enorme riqueza cultural, de excelente infraestrutura urbana e muita segurança — e por muitas vezes o país é considerado um pedacinho da Europa na América Latina.

E tudo isso com um baixo custo mensal! Como o real é mais valorizado do que o peso argentino, com cerca de R$2 mil é possível pagar todos os gastos com moradia, alimentação, lazer, transporte, livros e outros materiais didáticos, sem qualquer preocupação.

Curso de ingresso ou Ingresso Direto

O grande diferencial no sistema argentino é a existência dos cursos de ingresso ou curso de nivelamento e em alguns casos o ingresso é direto. Como o acesso à universidade é livre, as faculdades oferecem um curso de nivelamento antes do início das atividades do curso de medicina propriamente dito, apresentando temas como o sistema de saúde, biologia, química e metodologia científica. Esse curso de ingresso pode durar de 1 mes a 3 meses dependendo da universidade!

Diploma revalidado

Para quem quer estudar medicina na Argentina, mas voltar para o Brasil após a conclusão do curso, existem várias opções de revalidação do diploma e entrada no mercado brasileiro. Para a revalidação, atualmente, existem a prova do Revalida e alguns editais de revalidação independentes em algumas universidades. Mas também é possível trabalhar como médico dentro do Programa Mais Médicos, que dá preferência à contratação de médicos brasileiros, mesmo os formados fora do país.

A expectativa, no entanto, é de que em um futuro próximo, com a expansão do Sistema de Acreditação Regional de Cursos de Graduação do MERCOSUL (ARCU-SUL), o fluxo de profissionais seja livre entre os países do Mercosul. Ou seja, quem começar o curso de medicina agora talvez já consiga contar com esse sistema!

Ainda tem dúvidas sobre como estudar medicina na Argentina? Deixe suas dúvidas nos comentários e confira nossos outros posts!

Compartilhar
Desenvolvido por: