Top

Medicina na Argentina, Porque é de graça quer dizer que é fácil?

Medicina na Argentina / MEDICINA NA ARGENTINA  / Medicina na Argentina, Porque é de graça quer dizer que é fácil?

Medicina na Argentina, Porque é de graça quer dizer que é fácil?

Muitos pensam que estudar medicina na Argentina é fácil por conta de não possuir os vestibulares e muitas das universidades o ensino ser gratuito, mas será que realmente é assim? Vamos analisar cada ponto e te mostrar os prós e contras.

O ENSINO É DE QUALIDADE?

As universidades Argentinas são consideradas uma das melhores da América Latina para se estudar medicina, sempre entrando no ranking em boas posições. Há certo preconceito por conta de o ensino ser gratuito em algumas universidades as pessoas acabam pensando que irá interferir na qualidade do ensino oferecido pela universidade. Atualmente muitos brasileiros tem deixado de estudar medicina por aqui e tem se jogado nessa “aventura” de se mudar para Argentina em busca do sonho de se formar médico e tudo isso sem medo de que o ensino possa ser inferior.

COMO SÃO AS PROVAS? SÃO FÁCEIS?

Na maioria das universidades as provas de medicina são divididas em três partes diferentes: oral, escrita e múltipla escolha. Não são consideradas fáceis por conta de serem em um idioma diferente do que estamos acostumados, é preciso muita atenção na hora de realizar qualquer uma das provas. Mas com bastante dedicação e estudo é possível tirar boas notas.

BRASILEIROS PODEM ESTUDAR LÁ?

Sim, muitos estudantes brasileiros têm se mudado para Argentina com o intuito de estudar medicina. A Flez Intercâmbios pode te ajudar como tem ajudado muitos outros brasileiros a realizarem seus sonhos. Foi feito uma pesquisa no curso de medicina da Universidade Nacional de La Plata (UNLP) que fica a uma hora e meia de Buenos Aires, em 2015 foram registrados 11 alunos brasileiros, em 2017 esse número pulou para 311 e nesse ano de 2018 foram registrados 566 brasileiros matriculados. Cada vez mais os brasileiros têm se arriscado a mudar para Argentina por conta do alto custo e concorrência nas universidades brasileiras.

Desenvolvido por: